MINHA META

Desde o princípio


Só na casa dos 60
É possível enfrentar pensamentos sabotadores respondendo certas perguntas. Por exemplo, uma paciente da autora precisou usar essa técnica numa ocasião em que, ao se pesar, constatou que engordara quase 500 gramas. Seu pensamento foi: Isso é abominável! Estou fracassando! Nunca conseguirei emagrecer. Mas ela conseguiu desafiar seu pensamento respondendo a essas sete perguntas:
1. Que tipo de erro cognitivo estou cometendo? Adivinhação do futuro.
2. Qual a evidência de que esse pensamento não seja verdadeiro ou pelo menos não seja totalmente verdadeiro? Já houve semanas em que engordei um pouco, mas depois voltei a emagrecer.
3. Existe uma explicação alternativa ou outra maneira de ver essa situação? Talvez eu não tenha emagrecido nesta semana por questões hormonais ou oscilações naturais de peso.
4. Qual é o resultado mais realista para essa situação? Se eu continuar o que estou fazendo, voltarei a emagrecer.
5. Qual é o efeito de acreditar nesse pensamento e qual seria o efeito de acreditar em um pensamento diferente? Se continuar a pensar assim, é provável que eu não emagreça, que eu fique desanimada e abandone minha dieta. Se eu mudar a maneira de pensar, continuarei a progredir.
6. O que eu diria [a um amigo ou membro da família] se eles estivessem na mesma situação e tivessem os mesmos pensamentos? Eu diria a minha irmã que, com toda a certeza, ela emagreceria.
7. O que devo fazer agora? Ler meus Cartões de Enfrentamento, restaurar minhas energias e continuar a dieta. Comunicar-me com meu técnico de dieta, caso eu precise de motivação.

Esta semana fiquei doente, e acabei comendo demais. Na verdade eu não penso em algo específico, mas acredito que "posso" comer mais pois estou doente. Primeiro fiquei pensando de onde isso surgiu na minha vida e minha primeira lembrança relacionando comida à doença foi quando eu operei os olhos, aos 7 anos. Eu era estrábica, e eles operaram os dois olhos ao mesmo tempo, então cheguei em casa "cega". Minha avó me esperava e havia feito salada de feijão fradinho para mim, que era (e ainda é) meu prato favorito. Imagino que tenha havido várias doenças e vários pratos especiais durante toda minha vida. Por enquanto é a única coisa que me faz sair comer sem pensar no dia de amanhã. Bem, então vamos lá:
1. Que tipo de erro cognitivo estou cometendo? Irrelevância (ou seja, eu posso comer porque estou doente).
2. Qual a evidência de que esse pensamento não seja verdadeiro ou pelo menos não seja totalmente verdadeiro? Primeiro lugar, comer besteiras não vai me fazer ficar saudável, muito pelo contrário. Segundo lugar, doente ou não, ainda quero emagrecer, e comer demais vai me levar para o caminho contrário.
3. Existe uma explicação alternativa ou outra maneira de ver essa situação? Posso continuar comendo o que normalmente como, pois comer mais não vai fazer eu ficar boa mais rápido.
4. Qual é o resultado mais realista para essa situação? Se eu continuar com este hábito, atrapalharei meu emagrecimento.
5. Qual é o efeito de acreditar nesse pensamento e qual seria o efeito de acreditar em um pensamento diferente? Se continuar a pensar assim, todas as vezes em que eu ficar doente vou engordar. Se eu mudar a maneira de pensar, conseguirei manter meu peso pela vida inteira, mesmo durante meus períodos doentes.
6. O que eu diria [a um amigo ou membro da família] se eles estivessem na mesma situação e tivessem os mesmos pensamentos? Eu diria que não vale a pena comer demais quando se está doente, que as pessoas magras geralmente perdem a fome quando estão doentes, e que ela precisa aprender a pensar como uma pessoa magra.
7. O que devo fazer agora? Voltar a dieta hoje, mesmo estando doente. Todas as vezes em que eu quiser comer demais, preciso me lembrar de que não vale a pena.

Para amanhã as tarefas são:
1) Ler a lista das razões que tenho para emagrecer e outros Cartões de Enfrentamento, quando precisar;
2) Sentar-me na cozinha para comer, comendo devagar, prestando atenção e saboreando os alimentos;
3) Planejar a alimentação, mensurar os alimentos, fotografar e preencher o Jornal Pessoal logo após comer, evitando a alimentação não planejada;
4) Agendar atividades físicas mantendo-me firme no plano de exercícios escolhido;
5) Ficar atenta a meu corpo para conseguir diferenciar fome, vontade e desejo incontrolável de comer; Também prestar atenção à sensação de saciedade, parando de comer assim que estiver satisfeita, sem me empanturrar;
6) Não esquecer: EU TENHO A CAPACIDADE DE ESPERAR ATÉ A PRÓXIMA REFEIÇÃO!
7) Elogiar-me e dar uma moeda a cada atitude correta frente ao emagrecimento, para poder comprar um presente a cada 2 quilos emagrecidos; Dizer PACIÊNCIA! se não emagrecer o esperado;
8) Se estiver frustrado por não poder comer algo, dizer PACIÊNCIA! para a decepção. Se me sentir injustiçado por estar fazendo sacrifícios, lembrar-me as vantagens dessa mudança de hábitos;
9) Conseguir me perdoar quando sair da dieta, e estar preparada para voltar à ela na refeição seguinte e não na 2ª feira seguinte!
10) Se estiver desanimado, lembrar-me de minhas conquistas, que este desânimo é passageiro, que eu já enfrentei coisas piores, e que as vantagens de emagrecer são maiores que os sacrifícios que faço: EU PREFIRO SER MAGRO.
11) Refletir sobre minhas experiências alimentares para fortalecer meus hábitos bons e aprender sobre meus erros;
12) Escrever sobre meus pensamentos sabotadores e erros cognitivos, e como lidei e/ou poderia ter lidado com eles. Aplicar a técnica das 7 perguntas a cada pensamento sabotador (preciso criar um diário sobre estas reflexões);
13) Prepare-se para se pesar (28ª tarefa).

Mais informações sobre o livro "Pense Magro", olhem a reportagem da Veja sobre o livro neste post.

8 comentários:

Sara Vanessa - Shazinha disse...

Oi querida. Vim pra te seguir e ver seu dia. Gostei muito das sete perguntas acho que eu estou precisando mesmo fazer essas perguntinhas para mim também... rsrsrs bjaum keridah, vou t seguir, me segue também...

bjaum

Simone Domingues disse...

oii lindona,

menina amei o post, e até copiei para que eu possa ler com mas calma.
lindona tenha um lindo dia!!
beijos

Andrea Aoki disse...

São perguntas até que simples, mas que nunca paramos para pensar, afinal os hábitos já estão incorporados, já fazem parte desde a infância e não vamos ficar nos questionando né? Mas aí quando lemos essas coisas é que refletimos que não precisamos mesmo de certas coisas em relação a comida, que é possivel comer sim, sem abusos, sem engordar... é simples, haha, a gente q complica!!!

Bjusss

cacau disse...

adorei as sete perguntinhas, temos que ver qualquer situação ruim por outro ângulo pois sempre existe um lado positivo
Bom feriado
bjs

Belinha disse...

Oi amiga vim retibuir seu recadinho carinhoso,obrigada pela força!
Sempre estarei aki pra te apoiar.Bjs até segunda!
Bom FDS!

Tatha, somente... disse...

amigaaa adorei as perguntinhas mesmo viu

bjinhosssssssssssssssss

paty ex- gordinha disse...

Amiga boa pascoa!!!!
que esse mes seja de sucesso pra todas nós.
melhoras e mil bjinhos

Danny disse...

Ola linda.
Em 1° lugar, gostaria de parabenizar essa mulher de fibra que vc é, adorei ver que vc ganhou o desafio....PARABÉNS.Continue assim que vc vai longe, vc é uma guerreira.
Infelismente parei no meio do caminho, como sempre faço na maioria das vezes que começo algo....+ isso vai mudar.
Gostaria de agradecer tbm o carinho dos comentários no meu blog, tem me ajudado mt.
Minha vida está de pé a cabeça, as vezes me sinto chata em ficar levando problemas p o blog, + vou tentar me abrir + e falar algumas coisas que me levam a baixo.
Sobre suas postagens do livro, tenho gostado mt.
Estou de férias e vou ver se consigo ir ao rio, lá devo encontrar o livro, pois aqui na minha cidade ñ achei.Estou ansiosa p comprar.
Desejo um ótimo feriado.
Boa Páscoa.Beijinhos.

Postar um comentário

Obrigada pela visita. Seu incentivo é muito importante para mim!

Related Posts with Thumbnails